Para que serve o zinco? Veja seus benefícios e os cuidados que devemos ter.

Para que serve o zinco?

O zinco é um mineral essencial, que participa de mais de 300 reações no organismo. Suas principais funções são relacionadas a estrutura (cabelo, pele, unha, e proteínas), a regulação (ativando ou inibindo processo) ou como catalisador (acelerando processos).

E o conjunto dessas funções, faz com que o zinco seja de extrema importância tanto para o sistema imune, como para o combate a inflamação e ao estresse oxidativo, muito presente em diversas doenças crônicas como, diabetes, obesidade, hipertensão.

Zinco influência a imunidade?

Sim, o zinco é essencial para o bom funcionamento das defesas do organismo, sendo influente tanto na imunidade inata quanto na imunidade adaptativa. E tanto o excesso, quanto a deficiência podem influenciar na resposta imune do organismo.

Hoje, tem se estudado a relação da suplementação e a imunidade, e de fato ela pode ajudar, porém, apenas quando há alguma deficiência. E nesses casos, o zinco pode ser uma frente para melhorar a imunidade do organismo, porém, sempre pensando que existe uma faixa ideal.

Mais nem sempre é melhor.

Inclusive, existem alguns estudos mostrando que doses elevadas da suplementação do zinco, principalmente no longo prazo podem gerar uma queda do sistema imune, além de outros efeitos colaterais. Então cuidado!

Ele é eficaz na luta contra a Covid-19?

Pode ser que seja, porém principalmente naquelas pessoas que já apresentavam um baixo consumo ou que já apresentavam alguma deficiência.

Ainda não existe um consenso sobre o assunto, pois não houveram estudos o suficiente para isso. Porém, pessoas mais velhas, com problemas absortivos, pessoas que passaram por algum tipo de cirurgia (ex: bariátricos) e até pessoas que não comem carnes e/ou alimentos de fonte animal podem se beneficiar com a suplementação.

Isso porque provavelmente essas pessoas apresentam algum tipo de “deficiência”, então a suplementação tem grandes chances de trazer benefícios a estas pessoas.

Agora, pessoas “saudáveis”, com um consumo adequado de zinco, que comem produtos de origem animal, provavelmente terão poucos benefícios com a suplementação, se é que terão. Então não há necessidade de suplementar, principalmente altas doses (>20mg) visando se defender do corona vírus, porém, aumentar o consumo de alimentos fontes pode ser uma boa idea.

Quais as fontes alimentares do zinco?

As principais fontes alimentares do zinco são os alimentos de origem animal (carnes, ovos, frutos do mar) e em menor quantidade alguns vegetais (leguminosas, castanhas, nozes).

E atenção, é importante saber que as fontes vegetais apesar de terem alguma concentração de zinco, este pode ser menos aproveitado pelo organismo devido a presença presença de fitatos (substancia que interfere na absorção do mineral).

Quem precisa suplementar?

Imagem de um suplemento de zinco

Pessoas idosas, ou que já realizaram algum tipo de cirurgia gastrintestinal (ex: cirurgia bariátrica), que perderam alguma capacidade absortiva, ou pessoas vegetarianas/veganas são os principais grupos de risco para a deficiência, onde é interessante avaliar a necessidade da suplementação.

Pessoas saudáveis, de modo geral, não precisam suplementar, mas sempre que houver algum tipo de anemia relacionada ao ferro, pode ser interessante avaliar a deficiência de zinco no sangue. Isso, porque os mesmos fatores que interferem no ferro, tendem a interferir no zinco, então a deficiência de ferro é um indicativo de uma possível deficiência de zinco.