Como a gastrite influencia a saúde bucal

A gastrite e saúde bucal estão mais intimamente relacionadas do que muitas pessoas acreditam. A dor e o desconforto estomacal, geralmente iniciados após as refeições, podem ter origem na condição da integridade bucal e no descontrole de bactérias danosas ao organismo.

Ao mesmo tempo, os problemas estomacais são responsáveis por uma série de alterações no ambiente oral, que podem provocar a deterioração dos dentes e o aparecimento de diversos sintomas em todos os tecidos da região.  

Enquanto isso, a perda dentária pode dificultar a mastigação, contribuindo com o trabalho excessivo do estômago e causando a gastrite. 

Por isso, às vezes, contratar um convenio odontologico pode ser uma das maneiras de evitar ou, até mesmo, melhorar as condições gastrointestinais.

Antes, contudo, é preciso entender o que é a gastrite e todas as formas com que ela pode acometer o corpo e quais são os seus efeitos na saúde dos dentes.

O que é gastrite?

A gastrite é uma inflamação da mucosa intestinal que causa dores na boca do estômago, azia e queimação, náuseas, vômito, perda do apetite e, dependendo da gravidade do quadro, sangramentos que podem ser notados nos fluídos.

Ela pode ser originada por diversos motivos, desde a alta taxa de estresse no cotidiano – que aumenta a produção do suco gástrico e fere a mucosa que protege o estômago –, até os maus hábitos alimentares que deixam o conteúdo estomacal mais ácido.

Outra possível forma de início da doença é por meio da infecção de uma bactéria, encontrada e transmitida de forma oral, conhecida como H.Pylori. 

Esse microrganismo enfraquece a proteção natural do intestino e possibilita a inflamação e o surgimento de úlceras.

Além disso, as bactérias que são naturalmente encontradas na cavidade bucal e que são responsáveis pela formação do tártaro, doenças gengivais e saburra lingual, também colaboram com a irritação estomacal.

A gastrite é condição que pode ser tanto crônica quanto aguda, e pode ser causada por:

  • Uso medicamentoso por longos períodos, como o AAS ou Anti-inflamatórios;
  • Ingestão de bebidas alcoólicas ou ácidas, como café e refrigerantes;
  • Consumo de comidas contaminadas por vírus, germes e bactéria;
  • Reação colateral do sistema imunológico que ataca o organismo.  

Os impactos na saúde bucal

Utilizar os benefícios disponibilizados por um plano dental coletivo empresarial pode ser fundamental para diminuir a incidência da gastrite e melhorar a saúde bucal, enquanto trata e aperfeiçoa a própria integridade dentária.

Isso porque a falta de dentes, as doenças orais que causam dores e a sensibilidade dentária podem dificultar o processo de mastigação, fazendo com que o paciente não realize adequadamente essa etapa essencial para a digestão.

Afinal, quando os alimentos são pouco mastigados, o intestino precisa produzir mais ácidos e por mais tempo, prejudicando a saúde da mucosa estomacal. 

Assim, optar por tratamentos odontológicos que corrijam esses problemas, auxilia no bem-estar de todo o organismo.

Ademais, um dos principais sintomas da gastrite são os enjoos e, em alguns casos, o refluxo. 

Essa característica da doença pode ser especialmente nociva à dentição, pois quando o suco gástrico faz o caminho inverso e chega à boca, ele altera todo o equilíbrio oral.

Esse líquido, altamente ácido, retira os minerais dos dentes, desgasta o esmalte dentário, incentiva o processo de desmineralização dos tecidos, inflama as glândulas salivares e ainda reduz a produção e o fluxo salivar.

Isso pode fazer com que o paciente precise realizar tratamentos com um dentista – que podem ser barateados com o uso de um plano odontologico – para a correção de problemas como:

  • Maior incidência de cáries;
  • Xerostomia (boca seca);
  • Maior frequência de feridas bucais;
  • Inflamações gengivais;
  • Aparecimento de gengivas nas bochechas e nas línguas.

Tratamentos

Deste modo, o tratamento necessário para curar essas doenças deve acontecer por meio de uma parceria entre o atendimento odontológico, por meio de um plano odonto empresarial, e o auxílio de um gastroenterologista.

Isso porque, enquanto o dentista resolve o acúmulo dos microrganismos bucais e os problemas dentários que dificultam a mastigação e deglutição, o enterologista irá realizar uma série de exames e receitará medicamentos que eliminem as bactérias do intestino.

No entanto, o paciente também deve colaborar para que os tratamentos sejam bem sucedidos. 

Além de comparecer adequadamente em ambas às consultas (o uso do convenio odontologico empresarial pode facilitar o acesso aos consultórios mais próximos, marcação, além de reduzir o custo), é preciso evitar:

  • Deitar após as refeições;
  • Mastigar muito rápido e superficialmente;
  • Ingerir muito café, refrigerantes, chás, sucos cítricos, limão ou vinagre;
  • Escovas os dentes logo após as refeições (é preciso aguardar ao menos 30 minutos);
  • Durma com a cabeça um pouco mais elevada do que o corpo.

Realizando todos esses cuidados, é possível evitar complicações, o aparecimento de úlceras e grandes danos nas estruturas dentais e nos tecidos bucais, bem como preservar a saúde geral. 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.