Benefícios do vinho. Será que seu consumo pode ser saudável?

Os benefícios do vinho na saúde vão muito além de um simples prazer. Descubra como você pode ser saudável mesmo consumindo vinho todos os dias, e quais o benefícios desse habito.

Será que os benefícios do vinho superam os danos a saúde?

Ao que parece, sim!

Muito consumido na Europa, o vinho tinto tem ganhado destaque tanto pelo sabor como pelos seus possíveis benefícios para a saúde.

Já há algum tempo os pesquisadores tem analisado quais os benefícios do vinho, e se seu consumo de forma moderada pode trazer mais benefícios do que prejuízos à saúde.

Uvamatéria prima dos benefícios do vinho.

E o que os pesquisadores tem percebido é que o consumo de até uma taça (150mL) por dia de vinho tinto traz inúmeros benefícios para a saúde, aumentando a longevidade e a qualidade de vida.

O principal exemplo disso é visto na Europa, onde o vinho é parte quase que essencial da dieta mediterrânea, sendo consumido em pequenas quantidades quase que diariamente, e onde há uma população idosa saudável e ativa, bem diferente da que vemos no brasil.

Mas quais são os benefícios do vinho? Qualquer vinho conta?

Não, não é qualquer vinho que pode ser considerado “saudavel”, hoje, os estudos mostram que o vinho tinto traz consigo essas propriedades benéficas, diferentemente do vinho branco ou outros tipos de vinhos.

O vinho tinto tem uma grande concentração resveratrol, uma classe de substancias bioativas que exercem diversas ações benéficas para o organismo.

E quais os benefícios do vinho?

  • Proteção cardiovascular
  • Potente antioxidante
  • Potente anti-inflamatório
  • É capaz de baixar a pressão sanguínea
  • Proteção contra o Diabetes Mellitus tipo 2

OBS: O consumo exagerado (maior que 150mL) traz prejuízos para à saúde!

Cuidados necessários:

Não adicione a taça de vinho como rotina na sua vida.

Se permita as vezes, mas de forma controlada e moderada! O álcool pode gerar dependência, e existem diversas contraindicações relativas ao consumo de álcool rotineiro. Isso sem contar a possível interação com outros fármacos e outras doenças já existentes.