Alergia alimentar – Como identificar, o que fazer, e quais os principais sintomas.

A alergia alimentar é uma reação exacerbada do nosso sistema imune a determinadas proteínas presentes em determinados alimentos, por exemplo, a proteína do ovo, a proteína do leite, a proteína do amendoim, entre outros.

Resumidamente, é quando nosso sistema de defesa encara alguns alimentos como um risco para a saúde, o combatendo veementemente, gerando alguns sintomas.

Diferença entre alergia e intolerancia:

É muito comum haver uma certa confusão entre alergia e intolerância, e em ambas, é necessário cuidado com a ingestão de determinados alimentos. Porém, elas são duas situações completamente diferentes, com efeitos totalmente diversos na saúde.

A alergia alimentar é quando nosso corpo reconhece a proteína do alimento “X” como um risco à saúde, e tenta combate-lo, ativando todo o sistema imune até que o problema seja resolvido. E essa reação pode chegar a um patamar onde os efeitos colaterais provocados pelo sistema imune podem colocar sua vida em risco.

Já na intolerância, não há uma reação do sistema imune. A intolerância acontece principalmente pela má digestão de determinados alimentos, seja por algum problema intestinal (ex: pessoas que realizaram uma cirurgia bariátrica, e apresentam uma maior dificuldade para digerir os alimentos), seja pela deficiência de determinadas enzimas (como no caso dos intolerantes a lactose, onde geralmente há a deficiência da enzima responsável pela digestão da lactose, a lactase). Mas que, apesar de apresentar sintomas, não traz riscos sérios à saúde.

Principais alimentos responsáveis pela alergia alimentar:

Apesar da enorme diversidade da alimentação humana, um pequeno grupo de alimentos corresponde a 90% das alergias alimentares. Sendo eles:

  • Frutos do mar / peixes
  • Soja
  • Trigo
  • Amendoim
  • Castanhas
  • Ovos
  • Leite de vaca

E é importante ressaltar que muitas alergias presentes em crianças desaparecem com o passar dos anos, mas alergias descobertas durante a vida adulta, dificilmente desaparecerão.

Principais sintomas:

  • Manchas vermelhas na pele / coceira
  • Formigamento na boca
  • Respiração ofegante
  • Suor excessivo
  • Hipotermia (queda da temperatura corporal)
  • Hipotensão (queda da pressão)
  • Inflamação das vias aéreas (obstrução das vias aéreas)

O que fazer quando tiver os sintomas?

Em casos de alergias leves, um simples antialérgico pode ser suficiente para resolver o problema. Mas no casos de pessoas que desenvolvem uma reação grave, pode ser necessário também o uso de adrenalina e corticoides visando diminuir os efeitos da reação imune exacerbada, que geram um risco à saúde.

Nestes casos, ligue o mais rápido possível para o SAMU (192) ou outro serviço de emergência. O quanto mais rápido você receber ajuda, menor é seu risco.

Existe tratamento? Existe cura?

Até o momento, não existe uma cura, a orientação é evitar o contato com esses alimentos, inclusive de forma indireta. Principalmente porque depois do primeiro contato (a primeira vez que a pessoa desenvolve algum sintoma relacionada a alergia) a resposta imune tende a ser mais rápida, então nas próximas vezes a tendência é que os sintomas apareçam ainda mais rápido do que da primeira vez.

Porém, tem surgido alguns estudos tentando aumentar a tolerância do sistema imune através do contato com pequenas quantidades do alérgeno, de forma controlada e segura ao longo de meses, que tem demonstrado algum resultado, só que, ainda não aplicáveis fora do contexto de pesquisas.

E em relação a crianças? É possível prevenir o desenvolvimento de alergias alimentares?

Por muito tempo se acreditou que era benéfico evitar o contato das crianças com os potenciais alimentos causadores de alergia. Porém, isso tem mudado, hoje, tem sido sugerido que o quanto antes a criança tiver o contato com esses alimentos, menor a chance do desenvolvimento de alergias alimentares. Tanto a mãe durante a gravidez / amamentação quanto a criança na introdução alimentar devem seguir dietas normais, sem evitar nenhum tipo de alimento por prevenção contra alergias alimentares.